• Sobre Meus Clientes

    Sobre Meus Clientes

    Postado por: Dra. Juliana Lemes
    Categoria: Histórias de Dentista

    Resende, a cidade onde eu moro, tem menos de 150 mil habitantes. E a população de Dentistas aqui é significativa. Mas sabe de uma coisa? Eu gosto bastante de morar numa cidade pequena, que me permite conhecer meus pacientes.

    Em janeiro de 2007 eu comecei minha carreira na Odontologia, em uma unidade básica de saúde. O primeiro paciente que eu atendi tinha o sobrenome Zampier, era um menino, de mais ou menos 10 anos de idade. Hoje é um rapaz tatuado, com 1 filhinho de 9 meses chamado Isaías. A mulher dele, Márcia, parou de trabalhar pra se dedicar ao ofício “mãe” e diz que daqui um ano e pouco vai colocar Isaías na creche para voltar a trabalhar no salão de beleza da prima, a Helen (que por sinal é uma manicure de primeira).

    No consultório particular, o primeiro que atendi foi o José Maria, um homem alto, de mãos grandes e cabelo liso bem preto. Lembro que o Sr. José tinha uma restauração MO nos 25 para ser feita, ele não tinha medo de anestesia, gostava de Jota Quest, e elogiou muito o trabalho que eu fiz! Depois não o vi mais, porque ele morava no interior de MG.

    Outro que me lembro bastante é o Ricardo, que é fã de carteirinha de Capital Inicial. Sabe todas as músicas e me trouxe um CD de presente para que tocasse quando ele estivesse em atendimento. O Sr. Paulo, que mora na rua atrás do consultório, gosta de vir aqui pois a clínica tem cheiro de café. Ele vem mais cedo pra assistir o jornal e fica conversando com a secretária sobre política. O Sr. Cadorna também é outro que eu nunca esqueço, as consultas dele sempre tem um horário maior porque ele me conta histórias sobre a minha família que eu nem imaginava que existissem! Ele conheceu meu avô e diz que ele era um homem muito alto e que meus olhos parecem muito com os dele. E também conta que foi apaixonado por uma tia minha e, por essa razão, me chama de “sobrinha” onde quer que me encontre. Ele fica sentado em frente ao açougue que tem perto do consultório, vendo o movimento e jogando conversa fora. E é assim sempre: eu passo na rua e ele grita “Olha a minha Doutora aí!”, gosto disso!

    Tem a Dona Madalena que traz bolo de milho, tem a Lívia, de 8 aninhos, que vem de Mauá e é muito mais valente que muito homem por aí. A Gabi gosta de maquiagem e me convidou para o aniversário de 15 anos dela, foi um festão! O José, irmão da Gabi, ama séries e já me deu dicas excelentes do que assistir no Netflix.

    Muitos já sentaram na minha cadeira e eu não posso deixar de agradecer a cada um por ter me permitido cuidar de seus sorrisos! E eu preciso, no meu dia a dia, demonstrar a cada uma das pessoas que confiam em mim, como eu sou grata!

    O consultório está sempre arrumado, eu sempre colorida e a música fica a critério deles! Eles escolhem, e até hoje eu não discordei dos gostos musicais! Faço questão de presenteá-los com kits de higiene, cartões, marcadores de páginas! Ano passado a Wish Box fez muito sucesso! Eles vinham, pegavam a mensagem de Natal, abriam um sorriso e saíam felizes! Eu ficava emocionada a cada sorriso que eu ganhava, confesso. São detalhes que precisamos cuidar. Para nós, o atendimento diferenciado não pode ser ignorado! Esse estreitamento das relações é importante. Saber quem são, do que gostam e mimá-los (SIM) reflete no sucesso do tratamento que eu proponho, principalmente porque resulta em confiança, de ambas as partes.

    E foi assim, com pequenos gestos, que eu soube que meu primeiro paciente já é pai. Porque ele e a família, depois de anos, encontraram meu nome no livro do convênio e vieram ao meu consultório!

    Ah, o Sr José Maria não mora em MG mais. Agora ele mora aqui em Resende e trabalha em uma montadora. Apareceu outro dia, pra uma revisão... E adivinha o que ele pediu pra ouvir?

                         “Fácil, extremamente fácil, pra você e eu e todo mundo cantar junto!”

    *Juliana Lemes é graduada pela UNESP-SJC, atua em clínica geral e estética dental. Dentista 10h por dia, “escritora” nas horas vagas e “maquiadora” de vez em quando - das resinas, dos clareamentos, dos sorrisos e dos pincéis!

    Deixe seu comentário