• Resinas Compostas – A Grande Sacada da Odontologia

    Resinas Compostas – A Grande Sacada da Odontologia

    Postado por: Dra. Juliana Lemes
    Categoria: Mercado

    Muitos materiais foram desenvolvidos e introduzidos no meio bucal para reabilitar dentes. Porém, grande parte desapareceu ou foi aperfeiçoado e muito disso deve-se à exigência estética das reabilitações orais. Temos muitas opções de produtos disponíveis no mercado atualmente, seja para uso direto ou indireto, uso posterior ou anterior, técnica estratificada ou uso de um único incremento. Certamente hoje as resinas compostas representam grande parte dos estudos científicos em Odontologia.

    A grande vantagem das resinas quando comparada a outros materiais restauradores é a preservação dental. Por se tratar de um material adesivo, as resinas não necessitam de desgastes de estrutura dental sadia para que permaneçam contidas nos preparos cavitários.

    Basicamente são constituídas de uma matriz orgânica (Bis-Gma) + agente de união (silanos) + partículas de carga (sílica, vidro de bário, zircônio/sílica) + agentes iniciadores da reação química (canforoquinona, peróxido de benzoíla). Nas resinas mais antigas, o inicio da reação de presa do material acontecia por meio da manipulação da pasta A com a pasta B (ou seja, por ativação química) e atualmente a reação acontece com a ativação luminosa. Há as que ocorrem por ativação química e fotoativação (dual).

    Com o tempo, as partículas de carga do material diminuíram de tamanho, o que foi decisivo para a indicação do material para a reabilitação de dentes posteriores. As resinas nanoparticuladas apresentam elevado percentual de carga em sua composição, o que resulta em alta resistência às forças mastigatórias. Também se deve considerar que a diminuição do tamanho da carga inorgânica e a homogeneização das partículas contribuíram para melhorar as propriedades de lisura e brilho superficiais, importantes para devolver a estética que tanto se deseja na atualidade.

    De acordo com o tamanho das partículas, as resinas são classificadas em:

    *Macropartículas
    *Micropartículas
    *Híbridas
    *Micro-híbridas
    *Nanoparticuladas
    *Resinas à base de siloranos

    Quanto ao escoamento, classificam-se em:

    *Alto escoamento (flow)
    *Médio escoamento
    *Baixo escoamento (condensáveis)

    As resinas permitem ao profissional, através de grande variedade de cor e opacidade, mimetizar a estrutura dental sadia e promover resultados estéticos perfeitos. A alta tecnologia aplicada aos materiais dentários nos permite tratamentos menos invasivos e soluções práticas e diretas nos nossos consultórios. Técnicas de incrementos únicos, como a proposta das resinas “bulk fill”, otimizam o tempo do profissional, pois permitem utilização de uma única porção de material para restaurações de até 4 mm; técnicas “bulk and body”, onde usamos resinas bulk fluidas para nivelamento das cavidades (e com isso selamos dos túbulos dentinários e melhoramos significativamente o quadro de sensibilidade pós-operatória) associada a técnica de incremento de resinas convencionais (condensáveis), esculpindo o elemento dental e, também, a tradicional técnica de estratificação com resinas condensáveis.

    Propriedades como resistências à tração, compressão, estabilidade de cor, adesividade, lisura e brilho superficiais têm sido melhoradas diariamente. A resina composta é um material que permite preparos conservadores nos elementos dentais e, para os pacientes que possuem indicação para a utilização, é um material excelente. Porém, não se trata de um material inerte. Elas sofrem degradação ao longo do tempo e por isso necessitam de avaliação periódica da integridade das margens da restauração com a finalidade de se preservar o remanescente dentário; revisão da superfície da restauração e avaliação da cor e lisura do material e necessidade de polimento; acompanhamento radiográfico para diagnóstico de lesões de cáries por micro-infiltração marginal. Exames clínicos periódicos e motivação do paciente garante longevidade da reabilitação com esses materiais e sucesso no tratamento.

    *Juliana Lemes é graduada pela UNESP-SJC, atua em clínica geral e estética dental. Dentista 10h por dia, “escritora” nas horas vagas e “maquiadora” de vez em quando - das resinas, dos clareamentos, dos sorrisos e dos pincéis!

    Deixe seu comentário