• Reabilitação estética do sorriso com facetas cerâmicas IPS e.max®, utilizando pontas diamantadas KG

    Reabilitação estética do sorriso com facetas cerâmicas IPS e.max®, utilizando pontas diamantadas KG

    Postado por: EuAmoOdonto
    Categoria: Mercado

    *Prof. Dr. Paulo Vinícius Soares

    A constante busca por um sorriso harmônico e estético eleva o nível de exigência e de expectativa dos pacientes. As facetas laminadas destacam-se como opção de tratamento para a reabilitação estética na prática clínica por proporcionarem procedimentos mais conservadores e com mimetismo as estruturas dentais. O desenvolvimento de novos sistemas cerâmicos reforçados por dissilicato de Lítio e dos cimentos resinosos auto-adesivos, favoreceu o aumento da longevidade e a performance clínica das restaurações estéticas indiretas.

    Paciente S.M.J., 52 anos, foi discutido com a paciente e, após esclarecimentos e concordância da mesma, decidiu-se pela manutenção das próteses, que serviram de orientação para reabilitação dos demais elementos. Portanto, o planejamento da reabilitação funcional e estética dos elementos 13, 21, 22 e 23 teria como referência as características dos elementos 11 e 12. Indicou-se a realização de laminados cerâmicos nos dentes 13,21,22 e 23 utilizando um sistema cerâmico a base de dissilicato de lítio (IPS e.max® (Ivoclar Vivadent, Schaan, Liechtenstein).

    A confecção dos preparos para facetas indiretas foi iniciado pelo dente 13, seguido do 23, 22 e 21.Todos os desgastes seguiram a mesma sequencia técnica para o preparo convencional de facetas laminadas:primeiramente, foi confeccionada uma canaleta de orientação na região cervical supragengival vestibular do dente com ponta diamantada esférica nº1014 (KG Sorensen, Brasil). A canaleta foi realizada com inclinação de 45? em relação ao longo eixo do dente e com profundidade de aproximadamente 0,9mm. Na sequência, foram realizados três sulcos de orientação na face vestibular do dente, no sentido cérvico-incisal, levando-se em consideração a inclinação desta face. O desgaste foi realizado seguindo os três planos dentais: cervical, médio e incisal, com ponta diamantada nº 4138 (KG Sorensen, Brasil), com profundidade média de 1,2mm e em seguida, os sulcos de orientação foram unidos, utilizando-se ponta diamantada nº 4137 (KG Sorensen, Brasil).

    A redução incisal (aproximadamente 1,0 mm de desgaste) foi realizada com ponta diamantada nº 4138, sendo o preparo estendido para a face palatina do dente(Figura 9). Por fim, o término em ombro com ângulos internos arredondados foi realizado com ponta diamantada nº 4137 (KG Sorensen, Brasil) em local que não sofre interferência do contato incisal quando a paciente realiza a Máxima Intercuspidação Habitual (Figuras 1 a 3).

    Redução Incisal

    Redução Incisal

    Redução Incisal

    Na mesma sessão, após a conclusão dos preparos, iniciou-se o procedimento de moldagem, utilizando-se material de moldagem a base de silicone de adição. As superfícies internas dos laminados foram tratadas para maior qualidade de união. O cimento resinoso foi aplicado na superfície da cerâmica e levado ao dente no sentido inciso-cervical. Após a remoção dos excessos de cimento extravasado aguardou-se 5 minutos e foi realizada a foto-ativação por 60 segundos em cada face. O ajuste final da oclusão foi executado e pode-se observar um resultado funcionalmente e esteticamente satisfatório (Figura 4).

    Ajuste final da oclusão

    Este Caso Clínico está publicado na íntegra na Revista de Odontologia do Brasil Central ROBRAC 2012;21(56) - ISSN 1981-3708 . www.robrac.org.br

    Fonte: Paulo Vinícius Soares1, Lívia Fávaro Zeola2, Fabrícia Araújo Pereira3, Analice Giovani Pereira4, Alexandre Coelho Machado5, Luis Henrique Raposo6

    1. Professor da Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Uberlândia, Departamento de Dentística e Materiais Odontológicos.
    2. Mestranda em Odontologia pela Universidade Federal de Uberlândia.
    3. Doutoranda em Materiais Dentários pela Universidade de São Paulo.
    4. Doutoranda em Odontologia pela Universidade Federal de Uberlândia.
    5. Mestre em Odontologia pela Universidade Federal de Uberlândia.
    6. Professor da Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Uberlândia, Departamento de Prótese Fixa e Oclusão.
    Contato com o Autor do Artigo:
    Faculdade de Odontologia –Universidade Federal de Uberlândia
    Área de Dentística e Materiais Odontológicos
    Av. Pará, n. 1720, Bloco 2B, sala 24,
    Campus Umuarama, CEP 38400-902
    Fone: (34) 3218-2255/ Fax: (34) 3218-2279
    E-mail: paulovsoares@yahoo.com.br

    Deixe seu comentário