• Plágio na Internet

    Plágio na Internet

    Postado por: Dra. Juliana Lemes
    Categoria: Histórias de Dentista

    Estou presente nas mídias sociais desde 2011, quando o Blog Odontodivas foi ao ar. E desde então já vi muita coisa sendo “kibada”.

    Sim, meus amigos, foi-se o tempo que “kibe” era apenas um salgado, feito de carne, excelente acompanhamento de uma cervejinha gelada.

    Na internet o termo “kibado” se refere a conteúdos, textos, imagens e até mesmo ideias (embora isso seja muito vago) reproduzidos ilegalmente e sem a devida autorização do autor ou citação da fonte de origem.

    Plágio (latim): “plagium, ii, roubo de escravo / 1. Ato ou efeito de plagiar / 2. Imitação ou cópia fraudulenta". 

    Nós vivemos uma época em que é mais fácil copiar do que criar conteúdo e, nessa história, as pessoas criativas sofrem com este crime.

    Embora os conteúdos produzidos sejam protegidos pela Lei nº 9.610 – Lei dos Direitos Autorais, o registro do conteúdo é opção de quem o escreve, não sendo uma obrigação.

    Redes sociais como o Instagram, por exemplo, onde o conteúdo é exclusivamente de imagens, essa prática tem sido mais comum.

    Eu mesma já vivenciei situações onde fotos de casos clínicos meus foram usadas sem meu devido conhecimento e autorização por outros perfis e, o pior, que ao reclamar eu ainda precisei me retratar, como se a errada na história fosse eu.

    Ora veja, eu produzi o conteúdo, eu postei e, após ele ter sido reproduzido sem minha autorização, ainda tive que pedir desculpas ao plagiador, sob ameaça dos advogados da pessoa que o fez.

    Fora outras situações como a utilização da minha imagem pessoal como foto de perfil em diversas redes sociais.

    O perigo disso é: vincular minha imagem a conteúdos que venham a prejudicar a minha imagem profissional ou, em caso de textos, modificar a real intenção daquilo que eu quis dizer.

    Há muito conteúdo bom disponível na Internet para complementar nosso atendimento, para demonstrar aos nossos pacientes e para nos ajudar naquela tarefa de educar e disseminar conteúdos sobre saúde bucal. Porém, tudo precisa ser feito de modo que, quem produziu o conteúdo, seja reconhecido por seu trabalho (que é meu caso, particularmente).

    Não seja você um “kibador”.

    Plágio é crime.

    *Juliana Lemes é graduada pela UNESP-SJC, atua em clínica geral e estética dental. Dentista 10h por dia, “escritora” nas horas vagas e “maquiadora” de vez em quando - das resinas, dos clareamentos, dos sorrisos e dos pincéis!

    Deixe seu comentário