• Formação de Preços em Odontologia

    Formação de Preços em Odontologia

    Postado por: Dr. Luiz Rodolfo
    Categoria: Dentista de Sucesso

    Então você se forma Cirurgião Dentista, compra seus equipamentos em prestações, recebe ajuda de familiares, se junta com colegas e abre seu tão sonhado consultório odontológico. Uma das primeiras preocupações que vem a mente: quanto vou cobrar pelo meu trabalho? Vou cobrar mais caro ou mais barato que o meu vizinho? Vou poder atender convênios? Quais deles? Tudo isso é essencial para a boa saúde financeira do seu empreendimento. Veja algumas dicas de como formar seu preço e como montar sua tabela de procedimentos odontológicos, isto é, a gama de serviços que você vai oferecer.

    Primeiro de tudo: quanto custa cada hora que seu consultório fica aberto? Pegue uma calculadora e faça a conta. Inclua: contas mensais como luz, água, telefone, internet, condomínio, aluguel, estacionamento, pagamento de funcionários (vale transporte, INSS, impostos, FGTS), material de consumo (uma média do valor mensal gasto na Dental, por exemplo), taxas, impostos, seguro, conta do laboratório de prótese e você até pode incluir parcelas de pagamentos de equipamentos comprados para seu consultório. Coloque TUDO na conta – até as cápsulas que você compra para alimentar a máquina de café da recepção. Some todos os gastos e divida pelo tanto de horas que seu negócio fica aberto e ainda inclua uma reserva (um valor que vai servir para pagar urgências do dia a dia ou para investir em novos equipamentos). O número encontrado é o seu Custo da Hora Clínica. Preste atenção que ainda não incluímos o valor de honorários, que é o quanto você vai colocar no seu bolso.

    Tendo este número mágico em mãos, é hora de escrever em uma tabela todos os serviços que você vai oferecer e uma estimativa de quanto tempo você demora para fazer cada um deles. Por exemplo, seu consultório custa R$50,00 por hora e você realiza uma restauração em resina composta Classe I em 1 hora. Tranquilamente, não é? Se ficar com dúvida, arredonde para mais. Nesse caso sua restauração em Resina Composta Classe I deve custar R$ 50,00 mais os seus honorários. Poxa e como definir honorários? Algo tão subjetivo, não é?

    A maneira mais interessante é determinar o quanto você quer ganhar por mês. Claro, no início é uma estimativa e esses valores vão variar muito durante o ano, porque sabemos que temos meses com mais movimento (geralmente novembro) ou meses com menos movimento  (janeiro ou dezembro).

    Vamos então dar um exemplo com números para ficar mais claro. Imagine que você deseja ganhar R$5.000,00 por mês, no seu consultório que custa R$ 50,00 por hora. Vamos também determinar quantas horas você vai trabalhar. Vamos fazer uma carga horária de segunda a sexta das 9:00h às 19:00h, totalizando 10 h com 1 h de almoço, portanto 9 horas trabalhadas. No mês temos uma média de 20 dias úteis. Então 20 vezes 9 = 180 horas mensais. R$5.000,00 dividido por 180 = R$27,7 (dízima), vamos arredondar para R$28,00 ou até R$ 30,00. Significa que nesse caso específico você pode cobrar uma restauração cerca de R$80,00 (R$50,00 fica para o caixa da clínica e R$30,00 para o seu bolso). Aí vem a parte que vai depender muito de você. Você pode incluir 2 vezes esse valor nos seus honorários para casos que você tenha que repetir algum procedimento. Compare o valor final com uma tabela de valores referenciais para ver se ficou “caro” ou “barato” – termos muito relativos.

    Tudo isso levando em conta que TODOS seus horários estarão cheios. Isso é importante pensar. Aí que entra um serviço bem feito de uma recepcionista que consegue fechar todos seus horários para que a conta bata ao final do mês. Confirmar pacientes no dia anterior e colocar um novo na agenda quando há uma desmarcação são tarefas essenciais. Defina metas e premie seus funcionários pelo seu desempenho. Com um tempo já de consultório, você pode calcular sua taxa de absenteísmo, isto é, porcentagem de faltas que você tem em média. Pegue esta porcentagem e aplique sobre seus honorários para ajustar as contas.

    Veja mais um exemplo: Digamos que você tem 30% de faltas e desmarcações em cima da hora em consultas. Das 180 horas que mencionamos no exemplo anterior, serão 126 horas trabalhadas e 54 horas ociosas. Pegue os mesmos R$5.000,00 e divida por 126 = aproximadamente R$ 40,00. Então sua restauração classe I de resina, mesmo com 30% de faltas, pode custar R$ 90,00 que não vai mudar seu salário final. Veja como fica mais fácil ter controle dos gastos e recebimentos. Além disso, essas contas vão te dar ideia se você consegue ou não atender convênios odontológicos.

    Agora ficou fácil. Quanto o convênio X paga por uma resina composta Classe I? R$15,00? R$7,00? É pouco, não é? Aí você vai ter três opções bem claras:

    1. Não atender o convênio X – se ele não paga nem o custo básico da sua clínica, você vai pagar para trabalhar.
    2. Atender o convênio X e ganhar menos no final do mês. Se o convênio pagar pelo menos um pouco mais que o Custo da Hora Clínica, aí você não paga para trabalhar, mas ganha menos no final do mês. Pelo menos nesse caso há giro no consultório e pacientes conhecendo seu trabalho.
    3. Aumentar o ritmo de seus atendimentos, arriscando ter uma queda de qualidade de serviços. Não adianta, odontologia leva tempo. É preciso fazer as coisas com calma e não pular etapas. Acho arriscado e prejudicial a sua saúde. Por exemplo, fazer a sua resina Classe I em 30 minutos. É possível? Um caso redondo e tranquilo é sim. Porém, sabemos que nem todos casos são redondos e tranquilos, não é? Você pode escolher essa modalidade por um determinado período de tempo para conseguir um giro de pacientes. Você ainda aumentar sua carga horária trabalhando até mais tarde e aos sábados.

    Esta tabela vai ser interessante para você também determinar quais serviços você vai oferecer e se você vai chamar outros especialistas para atender em seu consultório e quanto pode oferecer de honorários a eles. Se você demora 5 sessões para fazer uma endodontia, por exemplo, ela deve custar mais de R$250,00 usando o valor do primeiro exemplo. Ter eficiência com um especialista que realiza endodontia em sessão única é muito bom negócio e fácil de definir os valores pagos ao colega.

    Além de tudo isso, você resolve uma outra dúvida: devo dar desconto nos meus tratamentos? Quanto? Em primeiro lugar, ao dar desconto, saiba que vai sair do seu bolso e não dos gastos da clínica. Isso é importante. Se você calculou seu preço com duas vezes o valor pretendido de honorários, seguindo o exemplo com as faltas de 30%: Sua resina composta classe I pode custar R$50,00 (valor da hora clínica) + R$80,00 (2 x os honorários) = R$130,00. Você imagina que este trabalho não vai gerar repetição você pode dar um desconto de até 30% (bastante hein!) sem mexer com seus honorários calculados inicialmente. Qualquer modificação fica fácil de entender o porquê. Aumentou um funcionário na sua clínica? Faça o cálculo novamente e redistribua os valores.  

    Descrimine tudo nesta sua tabela, inclusive sua consulta de avaliação inicial, urgências e tomadas radiográficas. Ao longo dos anos você deve reajustar essa tabela seguindo valores próximos aos da inflação ou ainda pensando em aumentar seus ganhos quando seu trabalho estiver bem diferenciado e você obter uma clientela fiel e recorrente. Espero que com esta consciência de precificação você consiga prevenir problemas e manter a saúde do seu negócio assim como você mantem a saúde bucal dos seus pacientes. 

    Cirurgião dentista, formado pela Universidade Paulista, UNIP, em 2011, Especialização na área de Periodontia e em Implantodontia, assumiu em 2016 a Coodernação da comissão de Mídias Sociais e Odontologia do CROSP, é palestrante na área de Mídias Sociais e Saúde Bucal. 

    Deixe seu comentário